http://jeshjournal.com.br/jesh/issue/feed Journal of Education Science and Health 2022-05-14T19:49:00+00:00 Prof. Dra. Adriana de Sousa Lima jeshjournal@jeshjournal.com.br Open Journal Systems <p>A revista <strong><em>Journal of Education, Science and Health</em> – JESH</strong> (Revista de Educação, Ciência e Saúde) <strong>e-ISSN: 2763-6119, prefixo DOI: 10.52832 </strong>, criada em 2021, é uma publicação científica de <strong>acesso aberto, multidisciplinar, trimestral com publicações em fluxo contínuo</strong>. O período entre a submissão e publicação varia de 30 a 90 dias.</p> <p> </p> <p>Baixe <strong><a href="https://docs.google.com/document/d/1pStuKQrRRpZs1r58Bs6Q7GYIc2XQiDSH/edit?usp=sharing&amp;ouid=106610564454381239297&amp;rtpof=true&amp;sd=true">AQUI</a></strong> o modelo do manuscrito. </p> <p> </p> <p><strong>CONTATO</strong></p> <p>WhatsApp: <a href="https://wa.me/c/558681733137">+55 86 981733137</a></p> <p>E-mail: <a href="mailto:jeshjournal@jeshjournal.com.br">jeshjournal@jeshjournal.com.br</a></p> http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/1-10 A Posição Prona e seus benefícios no tratamento da Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo: uma revisão integrativa 2022-02-12T04:19:42+00:00 Bianca Pereira Leite biancaleite.cz@gmail.com Ubiraídys de Andrade Isidório ubiraidys_1@hotmail.com Kamilla Zenóbya Ferreira Nóbrega de Souza kamillazenobya@hotmail.com Maria Alice Vieira Melo de Lima malicevmelo@gmail.com Andreza Alverga de Lima andrezaalverga@gmail.com Bruno Galdino Moreira brunogaldinomoreiracz@gmail.com Francisco Guilherme Leite Linhares de Sá francisco_guilhermedesa@hotmail.com Elisangela Vilar de Assis ely.vilar@hotmail.com Marta Lígia Vieira Melo martaligiafisio@hotmail.com <p>Devido à alta mortalidade, estratégias terapêuticas alternativas têm sido adotadas na prática clínica da síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA), à exemplo da posição prona, que, com o paciente em decúbito ventral, alivia atelectasias e melhora oxigenação e perfusão. Objetivo: Verificar, na literatura, evidências que comprovem os benefícios do uso da posição prona em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA). Método. Revisão integrativa da literatura. Pesquisa nas bases de dados: BVS, SciELO, Lilacs, PubMed e Google Acadêmico, utilizando os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): Síndrome do Desconforto Respiratório do Adulto; Decúbito Ventral; Ventilação Mecânica; Ventilação não Invasiva; Fisioterapia, cruzados pelo operador booleano <em>AND</em>. Após aplicação dos critérios de elegibilidade e avaliação por títulos, resumos e leitura na íntegra, foram selecionados 13 estudos para a elaboração desta revisão. Resultados e Discussão. A posição prona (PP) é indispensável para redução da gravidade e da mortalidade da SDRA. Além de evitar a intubação orotraqueal, a PP promove melhora na relação PaO2/FiO2, aumento da saturação de O2, melhora da complacência pulmonar, redução no tempo de ocupação de leito de UTI e no tempo para alta hospitalar. A PP é uma técnica de baixo custo altamente eficiente com vários benefícios à mecânica respiratória dos pacientes.</p> 2022-04-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/102 Manejo clínico da Fibrilação Atrial: uma revisão integrativa das evidências atuais 2022-02-09T17:12:48+00:00 Marta Lígia Vieira Melo martaligiafisio@hotmail.com Andreza Alverga andrezaalverga@gmail.com Bruno Galdino Moreira brunogaldinomoreiracz@gmail.com Francisco Guilherme Leite Linhares de Sá francisco_guilhermedesa@hotmail.com Maria Alice Vieira Melo de Lima malicevmelo@gmail.com Weverton Flôr Patricio weverton-patricio@hotmail.com Ubiraídys de Andrade Isidório ubiraidys_1@hotmail.com Elisangela Vilar de Assis ely.vilar@hotmail.com <p>O objetivo do presente estudo é verificar evidências acerca do gerenciamento clínico da fibrilação atrial caracterizando os principais métodos diagnósticos, assim comot as estratégias terapêuticas mais utilizadas. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, realizada pela seleção de estudos indexados na PUBMED de 2015 a 2021. Utilizaram-se os termos orientados pelos Medical Subject Headings (MeSH): “Atrial Fibrillation”, “Treatment”, “Diagnosis”, “Management”, combinados pelo operador booleano “AND”, os quais propiciaram 218 artigos que, após leitura de títulos e resumos, reduziram-se a 41 estudos e, posteriormente, a 20 após suas leituras na íntegra. O manejo clínico da FA é discutido pelo controle de frequência, controle de ritmo e anticoaguloterapia. As drogas utilizadas em cada estratégia possuem ressalvas na sua utilização e seu uso na emergência requer monitorização contínua. A escolha da terapêutica deve ser individualizada. A estratégia de controle de frequência parece ser a terapêutica mais segura, tendo o controle de ritmo certas ressalvas. A terapia anticoagulante é primordial para evitar desfechos desfavoráveis, mas deve ser avaliada pelo perfil de comorbidades do paciente.</p> 2022-04-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/98 Aspectos sobre a patogênese, a clínica, o diagnóstico e o tratamento da hanseníase: uma revisão narrativa 2022-04-17T19:04:43+00:00 Sebastião Marcio da Silva Vieira marcio-silvaviera@outlook.com Luis Felipe Silva de Lima felipesilvalima201997@gmail.com Pedro Alves Soares Vaz de Castro Alves Soares Vaz de Castro pedrocacastro9@gmail.com Juliana Maria Trindade Bezerra julianamtbezerra@outlook.com <p>A hanseníase é uma doença infectocontagiosa causada pela <em>Mycobacterium leprae</em>, com alta morbidade e de evolução lenta. Ela é uma doença que gera grande estigma e impacto na vida de indivíduos acometidos, podendo se manifestar através de sinais e sintomas. Sua característica principal é o comprometimento dos nervos periféricos. O objetivo do presente estudo foi realizar uma revisão narrativa, de modo a reunir informações sobre a patogênese, diagnóstico e tratamento da hanseníase. Os principais resultados do estudo mostraram a importância da prevenção e controle da doença, apontando evidências que mostram novas e importantes estratégias que podem ser incorporadas à prática clínica visando a redução dos casos em áreas endêmicas. Espera-se que os achados do presente estudo sejam elementos norteadores para futuras pesquisas com o intuito de investigar a realidade dos brasileiros, em relação aos dados sobre a patogenicidade da doença.</p> 2022-05-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/132 Análise da interação do contaminante metilmercúrio com hemoglobina do peixe matrinxã Brycon cephalus (Günther, 1869) 2022-05-14T19:49:00+00:00 Eduarda Medran Rangel eduardamrangel@gmail.com Estela Fernandes e Silva estela.fernandes.e.silva1234@gmail.com Daiana Kaster Garcez daiana_kg@hotmail.com Karine Laste Macagnan karinemacagnan@gmail.com Adrize Medran Rangel adrizemr@hotmail.com Louise Vargas Ribeiro louiseribeiro@hotmail.com Paula Fernandes e Silva paulafernandes.es@gmail.com Tainã Figueiredo Cardoso tainafcardoso@gmail.com <p>Os danos ambientais devido a um meio ambiente desequilibrado causam problemas muitas vezes irreversíveis à biota. O aumento da população desencadeia o aumento da produção industrial e do consumo, sendo que muitas vezes tanto as indústrias como os indivíduos não descartam de forma correta seus resíduos, causando contaminação no ar, solo e água. Na água os contaminantes podem sofrer o processo de bioacumulação e bimagnificação, chegando aos seres humanos através do consumo de peixes, por exemplo. O metilmercúrio é uma forma tóxica do mercúrio, sendo altamente poluente e contaminante quando em contato com os seres vivos. O objetivo desta pesquisa foi o de verificar o padrão de interação entre o metilmercúrio e a hemoglobina do peixe <em>Brycon cephalus</em> através de <em>docking </em>molecular. A energia livre de ligação obtida para o complexo hemoglobina-metilmercúrio foi de -2.0 kcal/mol. Seis aminoácidos da hemoglobina foram envolvidos na ligação com o metilmercúrio, sendo eles: Valina, Serina, Leucina Arginina e Fenialanina. O <em>docking</em> molecular indicou a tendência de ligação do mercúrio à hemoglobina <em>Brycon cephalus</em> que pode gerar danos ao metabolismo. Assim, novos experimentos complementares (in vitro e in vivo) devem ocorrer para avaliar o possível efeito tóxico do metilmercúrio sobre essa espécie.</p> 2022-04-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/130 Fazendo ciência cidadã com aplicativo de celular para conservação da biodiversidade amazônica, no Norte do Mato Grosso, Brasil 2022-05-13T13:26:02+00:00 Gabriela Elídio da Silva elidiogabriela@gmail.com Maria Eduarda de Almeida Santos maria.eduarda10@unemat.br Tânieli de Souza Corbulin tanieli.corbulin@unemat.br Thomas Roberto Signor thomas.signor@unemat.br Liliane Stedile de Matos lilistedile@hotmail.com <p>O objetivo do presente trabalho é analisar a importância da ciência cidadã para o conhecimento e conservação da biodiversidade (vegetal, animal e funga) da Amazônia, através da Grande Bioblitz do Hemisfério Sul-GSB na região Norte do Mato Grosso na edição 2021. Como procedimentos metodológicos utilizou-se dados de registros fotográficos de indivíduos da fauna, flora e funga realizados durante o evento da GSB do norte do Mato Grosso disponíveis gratuitamente no banco de dados do aplicativo <em>iNaturalist</em>. Dessa forma, foi possível obter e analisar o número de observações realizadas, de participantes, de espécies já identificadas e de identificadores. A GSB do norte do Mato Grosso contou com a participação de 23 pessoas e apresentou um total de 554 observações, das quais 303 espécies foram identificadas através de 104 identificadores. Notou-se a presença de 6 espécies introduzidas e 4 ameaçadas de extinção. Portanto, foi possível constatar que o evento de ciência cidadã realizado através da GSB do Norte do Mato Grosso, aproximou os cidadãos do conhecimento científico, com a produção de dados de observações de seres vivos da região amazônica. Trazendo à luz o conhecimento de várias espécies presentes nessa região, notando que algumas foram introduzidas no ambiente podendo causar perda da biodiversidade, e outras se encontram com risco de extinção.</p> 2022-05-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/115 Os desafios da educação domiciliar durante a pandemia da Covid-19 para manter ensino aprendizagem dos estudantes no ensino fundamental 2022-04-09T02:57:05+00:00 Marcelo Robson Soares de Araújo marcelorobson1981@gmail.com Gleyka Luara Silva Seles gleykaluara30@gmail.com Rute Júlia Silva Galvão rutyjulia51@gmail.com Silvana Dias Costa suzanadias516@gmail.com Andreia de Sousa Costa andreiastia67@gmail.com Hernando Henrique Batista Leite hernandoleite@cescn.uema.br <p>O presente estudo trata dos Desafios da Educação Domiciliar durante a Pandemia, para manter o Ensino Aprendizagem dos Filhos no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano, em Coelho Neto/MA. O objetivo é compreender os desafios da educação domiciliar durante o período pandêmico. Para tanto, recorre-se a algumas referências bibliográficas sobre a temática através de uma pesquisa de cunho qualitativo, realizada por entrevista com pais de alunos e professores dos anos finais do ensino fundamental, no qual procurou saber quais os desafios da educação domiciliar em meio a quarentena provocada pela pandemia da Covid-19, como foi a participação dos pais durante o Ensino e Aprendizagem na rotina escolar dos filhos em casa, qual legado será deixado desse período pós pandemia e como o ensino remoto irá afetar a rotina dos professores e alunos a normalidade durante o retorno escolar. Os resultados desta pesquisa concluíram que o ensino domiciliar trouxe uma dinâmica diferenciada em que a tecnologia assumiu o lugar de principal mediadora através do ensino e aprendizagem tornando-se uma realidade cada vez mais presente no dia a dia dos alunos.</p> 2022-05-13T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/118 Ensino e pesquisa em tempos de educação remota: a experiência do Journal Club do Grupo de Pesquisa Epidemiologia das Doenças Infecciosas e Parasitárias (EPIDIP) entre alunos de graduação 2022-03-17T04:45:37+00:00 Aline do Carmo Silva alinecarmosil@gmail.com Alane do Carmo Silva alanedocarmo123@gmail.com Giovanna Rotondo de Araújo giovanna_rotondo@hotmail.com Pedro Alves Soares Vaz de Castro pedrocacastro9@gmail.com Juliana Maria Trindade Bezerra julianamtbezerra@outlook.com <p>O <em>Journal Club</em> é uma estratégia de estudo que permite a atualização no ensino de Biologia, Medicina e áreas afins, assim como a melhoria nas habilidades de avaliação crítica. Existem vários relatos de seu uso em instituições de ensino e pesquisa de todo o mundo, mas poucos são encontrados na literatura com foco na educação e na percepção do participante. O objetivo do presente estudo foi descrever e avaliar a experiência do <em>Journal Club </em>do Grupo de Pesquisa Epidemiologia das Doenças Infecciosas e Parasitárias (EPIDIP) do Centro de Estudos Superiores de Lago da Pedra da Universidade Estadual do Maranhão (CESLAP/UEMA). Trata-se de um relato de experiência e pesquisa de satisfação dos estudantes de graduação participantes do grupo, por meio de questionário anônimo autoaplicável. Dezesseis graduandos responderam ao questionário. A maioria dos estudantes avaliou como positiva sua experiência no <em>Journal Club, </em>sobretudo aqueles que já ministraram palestras. A utilização de um <em>Journal Club</em> faz-se presente em diversas áreas do meio acadêmico, principalmente pelos estudantes da área da saúde, em especial a medicina e enfermagem para a validação da informação dos estudos científicos. Em meio à pandemia de COVID-19, a adoção do <em>Journal Club</em> do EPIDIP como ferramenta de ensino-aprendizagem, com a finalidade de capacitar e desenvolver competências, habilidades e análises críticas para os acadêmicos que o compõem, tem sido uma estratégia satisfatória no ensino de Epidemiologia e Parasitologia.</p> 2022-04-29T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/91 Aspectos epidemiológicos da dengue no estado do Maranhão: uma revisão sistemática 2022-03-10T15:08:26+00:00 Alane do Carmo Silva alanedocarmo123@gmail.com Sebastião Márcio da Silva Vieira marcio-silvaviera@outlook.com Aline do Carmo Silva alinecarmosil@gmail.com Pedro Alves Soares Vaz de Castro pedrocacastro9@gmail.com Giovanna Rotondo de Araújo giovanna_rotondo@hotmail.com Juliana Maria Trindade Bezerra julianamtbezerra@outlook.com <p>A Dengue é uma doença tropical infecciosa causada pelo vírus da Dengue (<em>Dengue virus</em> - DENV) e transmitida primariamente por mosquitos <em>Aedes aegypti</em>, sendo endêmica no Brasil, em especial no estado do Maranhão. Apesar de endêmica, pouco se sabe sobre a epidemiologia da doença nesse estado. O presente estudo trata-se de uma revisão sistemática registrada no <em>Open Science Framework</em> (OSF) e no <em>International Prospective Register of Systematic Reviews</em> (PROSPERO), seguindo as recomendações do <em>Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses</em> (PRISMA), sobre os aspectos epidemiológicos da Dengue no estado do Maranhão. De 124 estudos encontrados, 11 foram incluídos por cumprirem os critérios de inclusão do trabalho. Dos 11 estudos incluídos, verificou-se maioria dos casos no gênero feminino (entre 39,2 e 69,0%), na faixa etária dos 15 aos 49 anos (72,20%), com escolaridade 2º grau (49,6%) e em indivíduos autodeclarados pardos (entre 39,0 e 65,7%). O critério clínico laboratorial foi responsável pela identificação de casos positivos de Dengue, com variação de 23,0 a 63,2% nas confirmações. Quanto à classificação da forma clínica, entre 65,3 e 91,6% dos casos, referiram-se à Dengue, sendo os sorotipos mais prevalentes o DENV-2 (5,2%) e o DENV-1 (0,1%). A pesquisa possibilitou a descrição dos aspectos epidemiológicos de pessoas acometidas por Dengue no estado do Maranhão. Espera-se que as informações deste estudo colaborem com os gestores, equipes técnicas locais e profissionais da saúde, sensibilizando-os com relação à importância da Dengue em todo o estado.</p> 2022-04-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health http://jeshjournal.com.br/jesh/article/view/131 A ouvidoria como ferramenta de gestão participativa na saúde municipal de Boa Vista- Roraima 2022-05-14T12:30:07+00:00 Jurandir Moura Dutra jurandirdutra@ufam.edu.br Rachel Geber Corrêa rachelgcorrea@gmail.com <p>A Ouvidoria no Sistema Único de Saúde – SUS é uma ferramenta de gestão participativa da população, buscando compreender seu papel como instrumento de controle nos serviços de saúde, bem como, avaliar sua contribuição para a tomada de decisão na gestão municipal. O objetivo da pesquisa foi verificar o conhecimento dos usuários do SUS acerca Dos serviços prestados pela ouvidoria desse sistema e identificar o funcionamento manifestações da ouvidoria municipal de Boa Vista - Roraima Para responder aos questionamentos que este estudo propôs, foi realizada pesquisa documental em livros, revistas, periódicos, sítios eletrônicos, constituindo revisão na literatura sobre o tema. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com os responsáveis pela Ouvidoria Municipal do SUS, de Boa Vista – Roraima e aplicados questionários aos usuários dos serviços prestados pelas Unidades Básicas de Saúde do Município. Após análise dos resultados, percebeu-se que a Ouvidoria Municipal do SUS, de Boa Vista- Roraima, desenvolve de modo satisfatório suas obrigações, com 64% das manifestações atendidas totalmente ou parcialmente, apesar do tempo de respostas ser insatisfatório a população, e faz uso das manifestações dos seus usuários para aprimorar a gestão municipal de saúde, bem como, para melhorar a oferta de serviços de saúde.</p> 2022-05-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Journal of Education Science and Health